Amora F.C.

Ano de Fundação 1921
Ground Estádio da Medideira
Capacity 1000
Morada Estádio da Medideira, Praceta Estevão Amarante 1, Amora
Ground Info O Estádio da Medideira dispõe do seu campo principal, onde joga a equipa sénior. Dispõe de relva natural, iluminação artificial e medidas regulamentares para a prática de futebol de 11. Adjacente ao campo principal encontra-se a zona técnica composta por balneários para as várias equipas (visitado, visitante e árbitros), rouparia, gabinete médico e departamento de futebol.

O Estádio da Medideira dispõe ainda de áreas administrativas onde é desenvolvida a gestão corrente do Amora Futebol Clube, assim como vários bares que dão suporte em dia de jogo ou ainda o Snack Bar Amora Futebol Clube que serve refeições diariamente.

Por fim, dispõe ainda de um auditório nomeado de Sala dos Presidentes onde figuram os vários troféus ganhos pelo Amora Futebol Clube assim como imagens de todos os Presidentes da história do Amora Futebol Clube.

Mais recentemente foi criada a Loja Azul que comercializa o merchandising do Amora Futebol Clube assim como um espaço para sócios.

O Amora Futebol Clube é um clube de futebol português, localizado na Praceta Estevão Amarante, na freguesia de Amora, concelho do Seixal, distrito de Setúbal.
É sócio honorário da Associação de Futebol de Setúbal.
Tem o número 22 na Federação Portuguesa de Futebol.
O clube foi fundado a 1 de Maio de 1921, o dia do trabalhador, durante um dos habituais piqueniques realizados pela comunidade amorense na Quinta da Princesa, primeiramente com o nome de Amora Football Club.
Os seus fundadores foram Mário de Carvalho, Guilherme Pestana, João Baptista, Julião Garcia, Tomás Alves, António Soares, Joaquim Monteiro, Oswaldo Reuter, Guilherme Reuter , Joaquim Zacarias, Leopoldo Grilo, Carlos de Azeitão, António Policia , Álvaro dos Santos, Jacinto Caixeiro, Alberto Rodrigues de Almeida (Malacato), Tomás da Cachamouca e António Manta.
O clube adoptou como sinais distintivos as cores azul, como predominante, e o branco e no símbolo da colectividade um signo de seimão e a bola de futebol.
Depois da fundação a principal luta dos responsáveis directivos do clube foi encontrar um local onde implantar o campo de jogos do clube. Conseguida a construção do Campo da Medideira, o clube começou a participar em competições oficiais na modalidade rainha que era o futebol.
A primeira sede do clube situava-se na Rua das Amoreiras, tendo depois passado para o Largo 5 de Outubro, mais tarde no Largo Machado dos Santos e posteriormente para a Av.Marginal Silva Gomes onde se fixou durante muitos anos.
Actualmente não possui sede social e funciona unicamente a secretaria no Estádio da Medideira.
Em 1926/27 participa no Campeonato Oficial do Núcleo de Almada e conquista o seu primeiro troféu – uma placa em bronze – num desafio de futebol onde venceu o Adicense FC de Alfama.
No ano de 1937 sagra-se campeão do Núcleo de Futebol do Seixal e no ano seguinte conquista o Campeonato da 2ª Divisão Distrital da A.F. de Setúbal, ascendendo, por isso, à 1ª Divisão Distrital daquela associação.
Entre as temporadas de 1939/40 a 1946/47 disputa o Campeonato Nacional da 2ª Divisão, sagrando-se, em 1941, como campeão da Estremadura da 2ª Série daquela competição.
O primeiro Campeonato Distrital da 1ª Divisão da Associação de Futebol de Setúbal conquista-o em 1953/54, façanha que viria a repetir durante a década de 60, vencendo os campeonatos relativos às temporadas de 1961/62, 1962/63 e 1968/69.
Após várias presenças no Campeonato Nacional da 3ª Divisão, o Amora FC regressa à 2ª Divisão Nacional na época de 1977/78, depois de ter vencido a Série F da 3ª Divisão Nacional na temporada de 1976/77.
A partir daqui esta colectividade amorense vai entrar no período de ouro da sua história, que culminará com a presença na 1ª Divisão Nacional do futebol português, onde esteve presente durante 3 épocas consecutivas.
Na temporada de 1979/80 vence a Zona Sul da 2ª Divisão Nacional e posteriormente sagra-se Campeão Nacional no segundo escalão do futebol português.
Estava assim conseguido o direito a participar pela primeira vez na sua história no Campeonato Nacional da 1ª Divisão.
No ano da estreia entre os grandes do futebol português, o Amora FC – clube de parcos recursos – protagonizou um autêntico brilharete, alcançado a manutenção através de um excelente 12º lugar no Campeonato Nacional da 1ª Divisão.
Apesar de alguma inconstância na liderança da equipa técnica, cargo pelo qual passaram três treinadores – Mourinho Félix, Arnaldo e Francisco Mário (liderança bicéfala como treinadores jogadores durante apenas uma jornada) e José Moniz – o Amora FC conseguiu realizar uma prova digna de destaque.
Nesta equipa do Amora FC da temporada de 1980/81 destacavam-se jogadores como o guarda redes Jorge Francisco, o defesa e capitão Arnaldo, o médio Pereirinha e o jovem Diamantino Miranda, e os avançados Narciso e Jorge Silva, este o melhor marcador da equipa com 14 golos.
No seu plantel incluía ainda o mítico Vítor Baptista, antigo jogador do Vitória de Setúbal e SL Benfica, e internacional português, mas que em fase descendente da carreira não foi tão importante como se esperava.
Na temporada de 1981/82 o Amora FC foi um pouco mais além. Voltou a garantir a manutenção, afinal o grande objectivo, mas atingiu a sua melhor classificação de sempre no Campeonato Nacional da 1ª Divisão, com um 11º lugar na geral.
Comandado pelo técnico José Moniz, destacava-se na equipa do Amora FC jogadores como o defesa Rebelo, que era também o capitão, os médios Jaime e Formosinho, contratado ao Varzim SC, e o avançado Caio Cambalhota, o melhor marcador da equipa com 14 golos apontados.
Após uma prolongada e acérrima luta com o Académico de Viseu, FC Penafiel e GD Estoril – Praia, o Amora FC foi um dos sobreviventes no Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1981/82, essencialmente fruto dos pontos conquistados em jogos onde a priori se previa a sua derrota.
Venceu no seu reduto o SL Benfica por 1-0 e empatou no Estádio das Antas, contra o FC Porto, 1-1. Estes resultados foram considerados, naturalmente, escandalosos ou surpreendentes.
A equipa do Amora FC tinha um trunfo importantíssimo na disputa do Campeonato Nacional da 1ª Divisão. O seu campo de jogos, em terra batida, causava imensas dificuldades aos opositores.
No Campo da Medideira apenas o Vitoria de Setúbal e o Sporting CP venceram.
No jogo disputado no Estádio Municipal de Guimarães para o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1981/82, o Vitoria SC venceu categoricamente a equipa do Amora FC por 4-0, sendo este o pior resultado obtido pela formação amorense nesta temporada.
A temporada seguinte, a terceira consecutiva na 1ª Divisão Nacional, terá sido o início do declive do Amora FC.
Nesta época não conseguiu atingir a meta da manutenção, terminando a prova em penúltimo, acabando relegado ao segundo escalão do futebol português.
O Amora FC, inicialmente treinado por José Moniz, que viria a ser substituído à 14ª jornada por António Medeiros, até começou muito bem a competição, alcançando bons resultados. Contudo, com o desenrolar da prova os maus resultados foram surgindo e consequentemente caindo na tabela classificativa até aos lugares de descida.
Nesta temporada de 1982/83 o Vitoria SC, treinado pelo jovem Manuel José, conseguiu empatar a 1-1 no Campo da Medideira. Já em Guimarães, o jogo ficou marcado por um redundante vitoria dos vimaranenses por números expressivos de 7-1.
Este jogo realizou-se a contar para a 27ª jornada do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1982/83 e foi arbitrado pelo juiz Vítor Gonçalves de Aveiro. Tratava-se de um jogo decisivo para ambas as equipas, numa competição que se encontrava bem perto do final.
Para o Vitoria SC, na luta pelo acesso às competições internacionais de clubes, a vitoria era importantíssima. Por seu turno, para o Amora FC, estava em causa a manutenção e como tal não poderia sair derrotado de Guimarães.
O jogo sorriu aos vimaranenses, que venceram e praticamente garantiram um lugar na Europa do futebol na temporada seguinte, aproveitando, nesta jornada, a derrota do Rio Ave FC na Madeira frente ao CS Marítimo por 3-0, e a derrota do SC Braga, em Setúbal, frente ao Vitoria FC por 2-1. O Amora FC, por seu turno, carimbou aqui o passaporte com destino à 2ª Divisão Nacional.
Após a descida de divisão, a crise abateu-se sobre o Amora FC, tal como aconteceu com quase todos os clubes da região de Setúbal, área do país que sofreu uma enorme depressão económica e desemprego a partir de meados da década de 80.
No final da época de 1984/85 acabou relegado à 3ª Divisão Nacional.
Com Jorge Jesus como treinador iniciou em 1989/90 um caminho que o levaria à 2ª Divisão de Honra.
Nesta temporada de 1989/90 subiu à 2ª Divisão Nacional e em 1991/92, ascenderia à 2ª Divisão de Honra, vencendo a Zona Sul com grande vantagem sobre o 2º classificado e onde a equipa alentejana do SC Campomaiorense se sagraria Campeão Nacional da 2ª Divisão.
Em 1992/93 disputou a 2ª Divisão de Honra, mas fruto do 17º lugar na classificação final voltou ao escalão da 2ª Divisão “B”.
Na temporada seguinte, de 1993/94, o Amora FC foi o Campeão Nacional da 2ª Divisão “B”, depois de vencer a Zona Sul, com o treinador Ricardo Formosinho, antigo jogador do clube.
Na época de 1994/95 competiu novamente na 2ª Divisão de Honra, mas voltou a não conseguir a manutenção, terminando de novo a prova na 17ª posição e, concludentemente, relegado à 2ª Divisão Nacional “B”.
A partir de então a vida foi bem mais penosa para o clube, quer desportivamente, mas acima de tudo financeiramente, levando o Amora FC quase à ruína, fruto da participação em competições exigentes sem suporte financeiro e social.
Na temporada de 1995/96 o clube desceria à 3ª Divisão Nacional regressando à 2ª Divisão “B” em 1998/99, depois do 2º lugar obtido na Série F na época de 1997/98.
Em 1999/00 foi novamente despromovido, apesar de ter regressado à 2ª Divisão “B” logo na época seguinte.
Os problemas financeiros, fruto das dividas nomeadamente à Segurança Social, agonizaram ainda mais a vida do Amora FC, com reflexo naturalmente no desempenho desportivo daquele popular clube.
No final da época de 2004/05 o Amora FC desceu definitivamente à 3ª Divisão Nacional.
Em 2008/09 volta a disputar o Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Setúbal, ao fim de 40 anos nos Campeonatos Nacionais.
Em 2012/13 torna à 3ª Divisão Nacional, voltando ao Campeonato Distrital da Associação de Futebol de Setúbal no fim dessa época, escalão onde se encontra actualmente.
Na época 2017/18, sagra-se campeão distrital invicto, batendo o recorde pontos do clube na competição, acumulando ainda a melhor defesa e o melhor ataque da prova, regressando assim aos palcos do futebol nacional, passando a integrar na próxima época o Campeonato de Portugal na série D.
Atualizado: 17 Novembro, 2018.
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Matches against Amora F.C.

  • 11 games
  • 3 wins
  • 3 draws
  • 5 losses